Gestão, Sem categoria

Veja como reduzir perdas de materiais no chão de fábrica

Em um cenário que ainda apresenta os resquícios da crise econômica vivenciada nos últimos anos e está cada vez mais competitivo, reduzir as perdas de materiais que ocorrem no chão de fábrica é uma forma de a indústria do plástico controlar os gastos. Justamente por isso, não são poucas as empresas que estão empenhadas em identificar possíveis falhas em seus ciclos produtivos para acabar de vez com o problema.

A seguir, separamos algumas sugestões para tornar tudo isso mais fácil. Confira:

Dicas para reduzir perdas de materiais em sua empresa

1. Monitore seu estoque e seu sistema produtivo de ponta a ponta

Na hora de se planejar para reduzir a perda de materiais, é fundamental desenvolver uma visão integrada das operações, do estoque e dos processos da empresa como um todo.

Com isso, você consegue, por exemplo, diminuir as perdas geradas por estoques intermediários ou pela produção ou aquisição de itens que já existem na empresa. Além disso, é possível evitar o descarte desnecessário de peças que ficaram paradas até a validade expirar.

2. Implemente um sistema MES

De acordo com Marcelo Pinto, diretor comercial da PPI-Multitask, a implementação de um MES (Manufacturing Execution System, ou Sistema de Execução da Manufatura) é uma das dicas mais viáveis para reduzir perdas de materiais.

Para ele, isso é possível por meio de:

  • Automação da coleta de dados e monitoramento online de quantidades, motivos, índices e alarmes de refugo e retrabalho, que alertam o operador e os líderes para que eles reajam rapidamente às perdas que estão ocorrendo no turno;
  • Controle Estatístico de Processo (CEP) online para monitoramento de variação de peso em processos de extrusão, sopro e injeção, que alerta operadores para tendências da geração de produtos com sobrepeso;
  • Automação da coleta de dados e apontamento online de consumos, devoluções, perdas e produção, com balanço online dos materiais, que alerta o operador sobre divergências que podem gerar diferenças de inventário, permitindo a identificação e a solução da divergência ainda no decorrer do turno de trabalho;
  • Automação da coleta de dados de lotes consumidos e produzidos para a rastreabilidade eletrônica da produção, agilizando a tomada de ação sobre lotes com defeito.

De acordo com Pinto, o software analisa se a máquina está produzindo, parada ou no ritmo e na velocidade previstos, entre outros parâmetros importantes.

“O MES evoluiu a ponto de permitir que o operador também controle o quanto a máquina consome e produz. É possível controlar, também, a variação de peso da peça que a máquina está produzindo, individualmente”, acrescenta.

O representante da PPI-Multitask afirma, ainda, que o software ajuda a indústria do plástico a melhorar seu controle real sobre a produção, dando um exemplo:

“Eu levei 100 de matéria-prima para a máquina, vamos pensar que cada peça injetada consome 1 de matéria-prima e, a cada ciclo, ela fez 80 peças, sendo que o operador vai devolver o que sobrou. O correto, portanto, seria devolver 20, só que ele acaba devolvendo 7. E os outros 13? Pode ser que, durante a produção dos 80, a pressão da máquina tenha sido aumentada, e a peça, ao invés de sair com 1, saiu com 1,13. Por isso, ela consumiu mais durante o processo. Pode ser que esses 13 estejam em um saco que rasgou, e ele teve de varrer e jogar fora aquela matéria-prima. Esses são exemplos banais de desperdícios que poderiam ser evitados e que mostram como a redução de perdas é viável na indústria do plástico”, conclui.

Quer saber mais sobre como reduzir perdas de materiais na indústria do plástico? Você tem alguma outra sugestão para acrescentar? Deixe sua mensagem nos comentários abaixo e até a próxima.   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *