Oportunidades

Plásticos de engenharia ganham espaço na indústria automobilística

As exigências da indústria automobilística estão cada vez mais complexas. Os consumidores buscam carros de alto desempenho, mas, ao mesmo tempo, exigem maior conforto, segurança e preços mais competitivos. E é justamente nesse cenário que o plástico ganha muita importância.

Além da redução do peso e, consequentemente, da economia de combustível, o uso do material em automóveis oferece melhor poder de absorção de energia, permite um design inovador e contribui para a segurança dos passageiros, o que gera carros melhores, com preços mais acessíveis e maiores possibilidades de vendas.

Os plásticos têm sido usados em carros desde a década de 1950, mas são as inovações mais recentes que estão realmente mudando a indústria para melhor. Foi na década de 1960 que surgiram os chamados plásticos de engenharia, que são resinas com propriedades superiores às commodities – fazendo um paralelo com a siderurgia, os plásticos de engenharia equivaleriam aos aços-liga.

A seguir, conheça mais sobre as aplicações dos plásticos de engenharia na indústria automobilística.

As vantagens do uso dos plásticos em veículos

Pergunte a um fabricante de plástico se uma peça deve ser projetada nesse material ou em metal, e ele vai dar uma lista de razões pelas quais o plástico é a melhor opção.

A principal vantagem na utilização dos plásticos na indústria automotiva é a redução do peso do veículo, que gera uma economia de combustível e, principalmente, a redução da emissão de dióxido de carbono (CO2)”, defende Jane Campos, Country Manager da filial brasileira da RadiciGroup.

Apesar de bastante utilizados nos veículos, os plásticos representam cerca de 10% do peso total de um carro moderno. De acordo com a Association of Plastics Manufacturers in Europe, estima-se que, em média, 100 quilogramas de plásticos pesam 50% menos do que os componentes convencionais, o que significa uma melhoria de 25% a 35% na economia de combustível. Além disso, com carros menos pesados, o chassi e o sistema de transmissão podem ser mais leves já que vão suportar o veículo com um peso total menor.

Para o meio ambiente, a redução do peso de um automóvel também é benéfica, no sentido de que, para cada quilograma perdido, o carro emitirá 20 quilos de dióxido de carbono a menos no ar.

Outras vantagens são a flexibilidade de design, já que o plástico é capaz de gerar componentes mais complexos (arredondados), e o menor custo de produção, em função da facilidade do processamento e da redução do ciclo de produção. Afinal, a peça já sai pronta para ser utilizada, eliminando retrabalhos, usinagem e acabamentos posteriores.

O plástico também possui maior resistência química, principalmente em relação à corrosão, permite a integração de sistemas e possibilita que componentes sejam injetados em diversas cores, eliminando a necessidade de pintura.

Além disso, promove a diminuição dos riscos de explosão em tanques de combustível e pode ser usado na fabricação de componentes para cintos de segurança, airbags e demais acessórios que ajudam a salvar vidas todos os dias no trânsito.

Aplicação dos plásticos de engenharia na indústria automobilística

A injeção é o principal método utilizado no processamento dos plásticos nos veículos, mas em determinados processos são utilizados, ainda, o sopro e a extrusão. Pelo seu alto poder de personalização e redução de tempo e custos de materiais, a impressão 3D, aos poucos, também começa a ser adotada  pelo segmento automotivo moderno.

Os plásticos de engenharia não são condutores e variam em escala, conferindo versatilidade de forma e tamanho. Além disso, têm grande resistência mecânica e podem substituir com vantagem outros materiais como o aço”, destaca Jane Campos.

Confira, portanto, os tipos de plástico mais utilizados na indústria automobilística e suas principais aplicações:

Poliamidas (PA)

Utilizado em coletores de admissão, tampas de comando de válvulas, maçanetas, componentes do espelho retrovisor, tubos de freio, sistema de refrigeração, componentes airbag, entre outros.

Poliacetal (POM)

Utilizado em unidades de envio de combustível, engrenagens do cinto de segurança, clips, componentes das fechaduras, roldanas de vidro, entre outros.

Polibutileno tereftalato (PBT)

Utilizado em limpadores de para-brisa, maçanetas, carcaças dos faróis, componentes dos bicos injetores.

Poliftalamidas (PPA)

Utilizado em carcaças de bomba d’água, termostatos, galeria de injeção, entre outros.

Policarbonato

Utilizado em lentes de faróis.

Polipropileno (PP)

Utilizado em para-choques, painéis, caixas de bateria, entre outros.

Acrilonitrila-Butadieno-estireno (ABS)

Utilizado em grades, componentes do painel, carcaças de espelho, entre outros.

Polietileno de alta densidade (PEAD)

Utilizado em tanques de combustível e reservatórios.


Quer saber mais sobre a aplicação dos plásticos de engenharia na indústria automobilística? Continue acompanhando o nosso canal de conteúdo e fique por dentro de todas as tendências do setor. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *