Gestão

Texturização a laser de moldes: você sabe como funciona?

A texturização a laser é um método de manufatura subtrativa, que se baseia no fenômeno de ablação a laser que pode ser aplicado para modificar as superfícies dos moldes de injeção plástica.

O processo é realização com a transferência da energia do feixe laser para o material que, ao absorver parte dessa energia, é removido. Já a modificação da superfície do material em si é obtida por meio da alteração da morfologia, topografia e, muitas vezes, da sua composição química”, explica Alexandre Cunha, coordenador do Instituto Senai de Inovação em Processamento a Laser.

Um sistema básico para texturização de superfície é composto pela fonte laser, por galvanômetro e estágios lineares. Todos os componentes apresentam um custo que varia de US$ 50 a US$ 300 mil. Além disso, existe um software de controle do sistema, que controla os parâmetros de processamento, sendo igualmente importante para todo o processo.

Tipo de laser para a texturização

A texturização a laser é realizada por meio de lasers pulsados, ou seja, a energia laser é liberada em forma de pulsos, com uma taxa de repetição característica. Esses feixes pulsados podem apresentar diferentes durações – nanosegundo, picosegundo e femtosegundo.

O processo começa com a gravação de uma textura como um TIFF, em escala de 8 ou 16 bits, ou JPEG. Em relação a esse processo, cabe destacar que quanto mais escuro for o preto, mais profunda a ablação, assim como, quanto mais próximo do branco, menos ablação ocorre.

Benefícios da texturização a laser

Com a texturização a laser, é possível trabalhar a superfície de um material em função das modificações que acontecem com o molde e que são desenvolvidas de forma controlada.

Além disso, há outros benefícios, conforme explica Fernando Rodorigo, diretor da Lasermold. “Entre as vantagens, podemos destacar que é possível fazer gravações e a micro usinagem em moldes com precisão de 8 milésimos de milímetro, ter reprodutibilidade no processo, podendo reproduzir exatamente o mesmo padrão em moldes com múltiplas cavidades – e tudo isso em processos completamente digitais, com possibilidades de criação infinitas”, destaca.

Cunha, no entanto, faz uma ressalva em relação a um cuidado bastante importante que deve ser tomado ao fazer a texturização a laser.

“A tecnologia laser é limpa, no entanto, deve-se ter cuidado com os tipos de materiais texturizados, pois alguns deles podem ser tóxicos ao organismo humano e deletérios ao meio ambiente. Nesses casos, é aconselhável o uso de EPIs, como luvas e máscaras, principalmente na texturização de alguns materiais poliméricos”, conclui.

Quer saber mais sobre a texturização a laser aplicada em moldes de injeção plástica?  Continue acompanhando o nosso canal de conteúdo e até a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *