Mundo do Plastico faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Sitemap


Articles from 2019 In November


6 fatos sobre o mercado global de plástico na indústria automotiva

Indústria Automotiva e Plástico Moldado por injeção

O mercado global de moldagem por injeção de plástico está preparado para um crescimento consistente. Os dados são da Saipriya Iyer, desenvolvedora de conteúdo de pesquisa da Global Market Insights (Selbyville, DE). Em um relatório recente sobre o mercado global de plásticos moldados por injeção, a empresa compartilhou algumas ideias importantes de sua pesquisa. Confira a seguir seis destaques!  

1 – US$345 bilhões até 2024

O mercado global de moldagem por injeção de plástico deverá valer cerca de US$ 345 bilhões em 2024. Os principais setores que contribuem para esse crescimento são: automotivo, impulsionados pelo processo de tornar os veículos mais leves para melhorar a eficiência de combustível e a faixa de veículos elétricos; embalagens, incluindo produtos thin-wall e rígidos; e eletrônicos, onde a moldagem por injeção de plástico resulta em projetos que melhoram a experiência do cliente, com custos de produção mais baixos.

2 - China

O mercado chinês de moldagem por injeção de plástico deverá crescer 6% até 2024. O mercado de construção e as normas para construção sustentável contribuem para esse crescimento.

3 - Alemanha

O mercado alemão, avaliado em US$ 11 bilhões em 2018, deve chegar a US$ 14,5 bilhões em 2024. O setor automotivo tem sido historicamente um grande cliente de serviços de moldagem por injeção, embora hoje esteja em um ciclo de baixa.

4 – Indústria automotiva: um novo momento

O setor automotivo costuma estar entre os principais mercados finais de geração de receita para moldadores por injeção na Alemanha e em outros lugares. Porém, fatores econômicos e mudanças tecnológicas estão afetando essa dinâmica. Queda na demanda na China, questões relacionadas a emissões na Europa e uma tendência de mudança em relação aos carros elétricos, por exemplo, afetam a demanda global. A Alemanha registrou um declínio aproximado de 12% na produção de automóveis no primeiro semestre de 2019. Embora as vendas de carros novos tenham caído de elevações históricas nos Estados Unidos, o país continua sendo um oásis econômico no mundo. Isso sustentou o veículo vendas em 2018, que cresceram 0,3% em relação ao ano anterior.

5 - Regulamentações

Regulamentos rigorosos sobre as emissões de CO2 na Europa sobrecarregam as montadoras, com uma despesa adicional de aproximadamente €1.000 por veículo para atender aos novos padrões. Mas a demanda por peças plásticas moldadas por injeção continuará a crescer, à medida que os OEM (Original Equipment Manufacturer) automotivos buscam melhorar a eficiência de combustível por meio da redução de peso. Peças plásticas moldadas são amplamente utilizadas em automóveis, desde coberturas leves até painéis e maçanetas.

6 – Veículos elétricos

É provável que a adoção de veículos elétricos aumente rapidamente até 2030. Empresas como a Tesla estão testemunhando um crescimento de dois dígitos em termos de receita. O Model 3 da empresa foi classificado como o carro elétrico mais vendido em 2018, seguido pelo Model X (classificado em quarto) e Model S (quinto). A empresa registrou um crescimento de receita de 82,5% em 2018 em relação a 2017. Os volumes de vendas de veículos elétricos estão criando lucro significativo para players e distribuidores. As vendas de veículos elétricos cresceram para mais de dois milhões de unidades no mundo. Este número representa um crescimento anual de 63%, mas uma taxa de penetração de mercado de apenas 2,2%.

Fonte. 

Dossiê da reciclagem química: presente, passado e futuro

Dossiê da reciclagem química

A reciclagem química é uma tendência cada vez mais forte no cenário global. Desenvolver soluções para que esse processo seja cada vez mais ágil e completo exige pesquisa, desenvolvimento e trabalho de múltiplas equipes do setor. Confira um pouco sobre o presente, passado e futuro dessa tecnologia nesse e-book exclusivo!
 

Nesse material, você vai encontrar: 

  •  O que é reciclagem química;
  • Como esse processo surgiu e se desenvolveu;
  • Momento atual da reciclagem química;
  • O que está por vir e desafios do futuro;
  • e mais!

Faça o download clicando no botão abaixo: 

 

 

 

Registre-se para fazer download desse recurso

Registrar-se como membro de Mundo do Plastico lhe dá acesso a conteúdo premium incluindo revistas digitais, webinars, whitepapers e muito mais.

Dicas para melhorar o recrutamento e seleção na indústria do plástico

Recrutamento e seleção para a indústria do plástico

O recrutamento e seleção na indústria do plástico não é uma tarefa fácil. Afinal, envolve uma série de questões complexas, que vão desde encontrar pessoas com capacidade técnica até engajá-las e mantê-las na empresa.

Ao mesmo tempo, aprimorar o processo de contratação é essencial para a empresa. "A tarefa de contratar profissionais competentes e adequados é um dos maiores desafios para líderes de quaisquer empresas. Ao falhar nesta tarefa, há um imenso risco para todas as partes. Para o candidato, significa uma potencial frustração em termos de expectativas e a real capacidade dele realizar algo. Para a empresa, um erro de alocação de tempo e de recursos", explica Bill Moraes, vice-presidente da FranklinCovey no Brasil.

Como fazer, então, para aumentar as taxas de sucesso no recrutamento e seleção na indústria do plástico? Confira algumas dicas a seguir!

Como fazer o recrutamento e seleção na indústria do plástico

Contratar uma pessoa adequada para a vaga vai muito além de estabelecer uma conexão no momento da entrevista ou receber uma indicação. É preciso considerar a formação técnica e a experiência na área, mas também entender se os valores do candidato vão de encontro aos da empresa.

"Nós desenvolvemos líderes e ajudamos organizações a criarem culturas vencedoras há 30 anos. Nesta experiência, os principais atributos a serem buscados se dividem em quatro pontos: quem é a pessoa, englobando aspectos de caráter - integridade e intenção ; como ela pensa, envolvendo os modelos mentais e crenças-chave; o que ela faz, envolvendo habilidades e capacidades cruciais; por último, resultados, passados, no presente e possíveis resultados futuros", explica Moraes.

Pense que são os atributos mais pessoais que irão determinar se a pessoa vai ou não se adaptar à empresa. Afinal, de nada adianta contratar um candidato com excelentes competências técnicas se ele não "abraçar" o propósito do negócio e se habituar à cultura da empresa.

Além deste ponto, é importante considerar outros fatores, como:

1. Entenda o que a vaga demanda

Pode parecer óbvio, mas muitas empresas começam o processo de recrutamento e seleção na indústria do plástico sem saber ao certo o que buscam. E, quando não há foco, dificilmente vocês conseguirão encontrar o candidato ideal.

Saiba qual a necessidade da empresa para, depois, elaborar a vaga. Aqui, detalhes importantes como funções da pessoa, horário de trabalho, experiência e perfil comportamental precisam ser levantados.

Com isso, você já abre a vaga com mais detalhes do que procuram e, inclusive, economiza recursos e tempo no momento de realizar as entrevistas.

2. Faça uma pré-seleção e estude os candidatos

Uma vez que a vaga for divulgada, é importante que os currículos recebidos sejam analisados com cautela. Esse é um filtro importante para que você só chame para a entrevista os candidatos que realmente se enquadram no perfil desejado. Assim, você evita frustrações por parte da empresa e do candidato.

Outro ponto importante é que o recrutador também deve se preparar para a entrevista. Analise o currículo do candidato antes de ele chegar para que você não perca tempo fazendo perguntas que já estavam respondidas.

Assim, você consegue otimizar a procura e aumenta consideravelmente as chances de selecionar a pessoa mais adequada para a posição.

3. Pesquise, monte um banco de dados e peça referências

Por fim, vale dizer que o recrutamento e seleção na indústria do plástico também pode ser realizado de maneira ativa. É possível usar recursos como sites de empregos e o LinkedIn para prospectar candidatos no mercado.

Outro ponto importante é manter um banco de dados com os currículos sempre atualizado. Afinal, não é só porque um candidato não deu certo para uma vaga que isso quer dizer que ele precisa ser desconsiderado. Muitas vezes, ele pode ser chamado para outra oportunidade que tenha mais a ver com o seu perfil.

Ainda, vale a pena pedir referências de antigos contratantes para evitar erros de análise do currículo e ter uma segurança maior no momento da decisão.

"O processo de seleção de talentos não é uma ciência exata. Ao envolver várias etapas e perspectivas diferentes de avaliação, é possível aumentar o índice de acerto neste processo. Um exemplo está em fazer com que vários líderes entrevistem um potencial talento, aliado com avaliações dos quatro pontos que mencionei na pergunta anterior - quem é a pessoa, como ela pensa, o que ela faz em termos de talentos e habilidades, quais resultados ela alcançou e poderá alcançar", recomenda Moraes.

Quer dar outro passo importante para profissionalizar a gestão da indústria? Então, veja como planejar a sucessão familiar para que a transição seja positiva para o negócio neste material.

Fonte

 

Resíduos da indústria do plástico podem ser transformados em novos produtos; saiba mais

Sapato-vegano-insecta - Resíduos da indústria

Encontrar novas formas de incentivar a reciclagem, a economia circular e a diminuição de desperdícios e produção de resíduos. Esses são desafios comuns a indústrias do setor plástico de diversos portes. A transformação do resíduo plástico em novos produtos é uma das respostas possíveis.

A Insecta Shoes, primeira empresa a fabricar sapatos e acessórios veganos no Brasil, demonstra algumas possibilidades nesse contexto. Atuando com foco no conceito ecológico e consumo consciente, os sapatos e acessórios da marca são produzidos a partir de materiais como garrafas PET recicladas, algodão reciclado, borracha reaproveitada, peças de roupas usadas, tecidos de reuso e resíduos da produção que seriam jogados fora.

A marca produz também planners, bolsas e mochilas. “A ideia é aumentar ao máximo a vida útil dos materiais que já estão pelo mundo. Fazemos parceria com qualquer indústria que faz sentido e contribui para o mundo e nossa rede produtiva como um todo”, comenta Barbara Mattivy, fundadora da empresa.  

Histórico e sustentabilidade

Desde 2014, já foram utilizadas para a produção dos itens mais de 21 mil garrafas de plástico, 2 mil metros de tecido reaproveitado, 1 tonelada de algodão reciclado, 1600 kilos de caixas de papelão, e mais de 7 mil kilos de borracha reciclado, e nenhum animal explorado.

A marca também aposta no conceito de sustentabilidade social. A produção é feita localmente em Porto Alegre, proporcionando um trabalho fixo às artesãs locais, com remuneração justa e assim estimulando a economia local.

Por que você deve investir em reciclagem?

Motivos para investir em reciclagem

Investir em reciclagem pode contribuir para tornar o negócio mais rentável para indústrias e empresas. Afinal, este é um tema que está gerando cada vez mais visibilidade e que tem o poder de transformar a empresa, tanto do ponto de vista financeiro, quanto do social e ambiental.

É importante dizer que investir em reciclagem não precisa ser sinônimo de transformar a indústria em uma recicladora. Existem diversos caminhos que podem ser adotados, desde o investimento no desenvolvimento de produtos de reciclagem até a parceria com recicladores por meio da venda ou disponibilização de resíduos plásticos.

Além disso, diversas leis incentivam as empresas a usarem materiais reciclados em seus produtos, enquanto outras determinam a responsabilidade para a reciclagem de resíduos. Portanto, a legislação também favorece quem deseja investir em reciclagem e transformar a atividade em mais um braço para o negócio.

Quer entender melhor sobre os benefícios de investir em reciclagem? Então, siga com a leitura deste artigo!

1. A reciclagem é um importante setor da economia

Embora o Brasil ainda precise caminhar muito em relação à reciclagem, este já é um importante setor da economia nacional, uma vez que traz impactos positivos na sustentabilidade ambiental e social. Para você ter uma ideia, as embalagens PET já estão no segundo lugar do ranking de materiais reciclados, perdendo apenas para as latas de alumínio.

Um ponto importante que tem impulsionado o setor é o aumento da demanda por materiais ecologicamente corretos. Afinal, já é grande o número de consumidores e de empresas que buscam por produtos reciclados com o intuito de ganhar maior diferenciação no mercado e reforçar sua contribuição para a sustentabilidade.

2. Redução de custos

"Ao reciclar o resíduo industrial, a empresa estará substituindo parte da matéria-prima virgem pela matéria-prima reciclada, aumentando sua produção e diminuindo seus custos", destaca Daniela Silvestrini, responsável pelo departamento de Marketing e Vendas da Alassia Ambiental Ltda Me.

A diminuição de despesas é um grande benefício, tanto para a indústria do plástico que realiza a reciclagem, quanto para as empresas que compram os produtos. Dessa forma, é possível transformar o investimento em reciclagem em um benefício duplo para a indústria, reduzindo os custos com matérias-primas e criando novos produtos sustentáveis e com grande valor agregado.

3. Criação de novas frentes de negócio

Falando na criação de novos produtos sustentáveis, investir em reciclagem também é um excelente caminho para iniciar novas frentes de negócio. E, com isso, potencializar a lucratividade e a competitividade da indústria.

"Com a matéria-prima reciclada, é possível lançar no mercado novos produtos com conceitos ecológicos e mais baratos, criando um diferencial para a empresa", comenta Daniela.

4. Ganho de competitividade ao investir em reciclagem

Daniela também destaca o fato de que empresas engajadas em reciclagem, recuperação ou reuso de resíduos tem um posicionamento diferenciado no mercado. Afinal, estamos falando de uma atitude sustentável e que beneficia toda a sociedade.

Para você ter uma ideia, os impactos da reciclagem vão muito além do meio ambiente. As legislações e iniciativas das empresas têm favorecido o desenvolvimento de cooperativas e associações de catadores. E isso promove a geração de mais emprego e condições de trabalho melhor para essas pessoas.

Em outras palavras, investir em reciclagem contribui também para um impacto social positivo no país.

5. Impulsionamento do setor pela legislação

Por fim, vale reforçar o fato de que o país também está impulsionando o desenvolvimento do setor por meio das leis, especialmente devido à Política Nacional de Resíduos Sólidos.

"Lei que prevê a elaboração de planos de gerenciamento dos resíduos gerados pelas industrias. Atualmente só conseguem renovação junto a CETESB, aquelas industrias/empresas que comprovarem seus respectivos planos de logística reversa", explica Daniela.

Dessa forma, a demanda por empresas que contribuam com o processo tenderá a ser cada vez maior. Sendo assim, investir em reciclagem abre uma gama variada de opções para a indústria do plástico, que pode desde fornecer matéria-prima reutilizada para essas empresas até, de fato, reciclar resíduos das grandes indústrias.

Conheça mais importantes tendências em embalagens plásticas em nosso material sobre o tema.

3 formas de analisar e planejar o seu negócio para 2020

Planejar seu negócio para 2020

Planejar o seu negócio para 2020 é essencial para prever os investimentos e recursos necessários para o alcance dos objetivos. É a partir desse planejamento que sua empresa será capaz de entender com mais clareza quais áreas exigem mais atenção dos gestores, quais podem ser reduzidas e onde os recursos podem ser aplicados. "É por meio do Planejamento Estratégico que o empresário consegue identificar oportunidades, inovações e estratégias que irão facilitar o seu sucesso. Além disso o PE é essencial para que os recursos da empresa sejam direcionados para as estratégias que convertam os resultados. Inclusive, o recurso mais importante da pequena empresa que é o tempo do empreendedor", explica Alessandra Torres, gestora empresarial e mentora na Agile Desenvolvimento Empresarial.

E, com a chegada do final do ano, é importante começar o quanto antes a planejar o seu negócio para 2020.

Pensando nisso, separamos 3 ferramentas que vão ajudá-lo com essa tarefa!

1. Matriz SWOT

A matriz SWOT é a ferramenta mais conhecida para planejar negócios e ações. Por meio dela, é possível fazer uma análise aprofundada dos cenários macro e microeconômicos do negócio para, então, tomar decisões mais adequadas.

"A matriz SWOT proporciona uma análise dos pontos fortes (strenghts) e fracos (weaknesses), e as oportunidades (opportunities) e ameaças (threats) de um negócio", explica Maicon Putti, consultor empresarial da Ideia Consultoria e Treinamento.

De acordo com o profissional, a matriz deve mostrar onde a empresa está perdendo oportunidades e qual o potencial de retorno versus investimento de cada uma delas. "Minimizar os pontos fracos também é fundamental, porque aí está a válvula de saída de dinheiro das empresas. Pontos fracos são 'desvios' do processo, resultados abaixo da média do mercado", completa.

Para montar a sua matriz SWOT, é importante partir de um problema, objetivo ou demanda de gestão. Depois, deve ser realizada uma análise do mercado para levantar as oportunidades e ameaças para a empresa. Aqui, é importante entender mudanças da legislação, o cenário econômico e político, o potencial de consumo, entre outros pontos que estão fora do controle do negócio e, ainda assim, podem exercer um impacto nele.

Feito isso, os olhares são voltados para as forças e fraquezas da empresa perante os concorrentes. Esse é um momento importante para ser sincero e entender o que é preciso melhorar e o que vocês têm que os concorrentes ainda não oferecem.

Ao concluir a matriz SWOT, você terá uma visão muito mais realista do que pode e precisa ser feito, pontos essenciais para planejar seu negócio para 2020.

2. Matriz BCG

Portal Administração Matriz BCG via Portal Administração - Planejar o seu negócio.jpg

via: www.portal-administracao.com

O nome BCG vem da empresa que criou a metodologia na década de 70: Boston Consulting Group. Essa é uma ferramenta importante para tomar decisões sobre investimentos em produtos e serviços. Ou seja, avaliar quais devem ler lançados, descontinuados ou receber um investimento maior.

Para tomar essa decisão, os produtos da empresa são classificados em uma das 4 categorias:

  • Estrelas: produtos que estão em um mercado que cresce rapidamente e, portanto, têm uma concorrência acirrada ao mesmo tempo em que detém uma grande participação neste mercado.
  • Pontos de interrogação: produtos com uma participação pequena, mas que estão em um mercado com oportunidade de rápido crescimento.
  • Vacas leiteiras: produtos líderes e com grande participação em um mercado que já é maduro e cresce de forma moderada.
  • Abacaxis: produtos que já foram líderes de vendas e, atualmente, não têm grande participação e estão em um mercado em declínio.

Identificadas as categorias, é importante ter em mente que os produtos estrelas costumam ser caros de se manter. Ao mesmo tempo, os vacas leiteiras podem se tornar abacaxis em breve e, estes, por não darem mais lucro, devem ser abandonados. 

Por fim, os produtos interrogações devem ser analisados para entender se vale a pena investir para transformá-los em estrela.

 

 

3. Forças de Porter

Por fim, as 5 Forças de Porter é uma ferramenta que indica como estas forças influenciam na capacidade de uma empresa atender aos clientes e lucrar. As forças são as seguintes:

  1. Ameaça de produtos substitutos: produtos que não concorrem diretamente, mas que podem substituir os vendidos pela empresa.
  2. Ameaça de entrada de novos concorrentes: facilidade com que novos concorrentes podem entrar no mercado. Aqui, a economia do país, as leis e o capital necessário para entrar no setor costumam ser os maiores impeditivos.
  3. Poder de negociação dos clientes: quanto mais opções os clientes tiverem, maior o poder para barganhar e escolher.
  4. Poder de negociação dos fornecedores: quanto o mercado é monopolizado por poucos fornecedores, seu poder de negociação é maior.
  5. Rivalidade entre os concorrentes: pontos fortes dos concorrentes em relação à sua empresa.

Plano de ação e envolvimento da empresa: porque planejar o seu negócio

Planejar o seu negócio para 2020 é de extrema importância. No entanto, um plano sem ação não valerá de nada para mudar a situação atual.

"Depois do planejamento, vem a etapa de criação do plano de ação, onde o empreendedor irá organizar as estratégias que ele colocará em prática de acordo com o tempo e os recursos disponíveis. Para esta etapa, a ferramenta que eu indico é o Planner, onde o empreendedor consegue organizar sua rotina e garantir que as estratégias serão colocadas em práticas", recomenda Alessandra.

Para Putti, o maior resultado do planejamento estratégico é dar foco para a empresa e realizar mais com o mínimo de esforço possível. Afinal, são essas ações que têm o poder de transformar resultados negativos e positivos.

No entanto, o profissional chama atenção para o fato de que uma pesquisa da Deloitte identificou que 80% dos planejamentos não vão até o fim. "A rotina operacional 'consome' o tempo estratégico e temos uma cultura brasileira de fazer e não pensar antes de fazer", explica.

Putti recomenda que as empresas tomem algumas medidas para que isso não aconteça, entre elas:

  • Engajar as equipes,
  • Monitorar semanalmente as iniciativas;
  • Mostrar os ganhos obtidos com as mudanças;
  • Focar em poucas ações de alto impacto;
  • Medir a evolução num gráfico visual para todos.

Está pronto para planejar o seu negócio para 2020? Aproveite para ler também o nosso material com dicas de como profissionalizar a gestão da sua indústria!


Fontes:

https://www.agendor.com.br/blog/matriz-bcg-exemplos/
https://blog.runrun.it/matriz-swot/

Raio X da embalagem sustentável: quais as métricas principais?

Embalagem sustentável - Como medir

A demanda por produtos com embalagem sustentável está aumentando. Afinal, o consumidor está mais consciente e informado e, portanto, considera os impactos sociais e ambientais da marca, bem como os seus valores, antes de consumir. Em outras palavras, atributos como qualidade e preço deixaram de ser determinantes na escolha de compra para se tornarem o mínimo esperado.

Uma embalagem sustentável tem um impacto menor no meio ambiente, seja em sua produção, comercialização ou descarte. E, em um mercado altamente concorrido e exigente, as empresas que apostarem nesse tipo de posicionamento têm grandes chances de saírem na frente e conquistarem o coração dos consumidores.

Mas o que torna uma embalagem sustentável? Entenda melhor a seguir e veja como trabalhar este tipo de atributo para conquistar clientes e vender mais!

Sustentabilidade como valor de marca

De forma geral, sustentabilidade é a capacidade de produzir e consumir sem comprometer as próximas gerações. A prática pode ser incorporada em um negócio de diferentes maneiras, seja por meio da economia de recursos naturais, da reciclagem ou do investimento em plástico que possa ser reutilizado.

Independentemente do caminho adotado, no entanto, é importante reforçar a sustentabilidade da empresa nas comunicações aos clientes. Quando trazemos isso para a indústria do plástico, significa explicar e valorizar o processo pelo qual a matéria-prima passa, as iniciativas da empresa e, até mesmo, os investimentos em novos processos ou materiais.

Com isso, a sustentabilidade se torna um valor agregado aos itens vendidos pela indústria. Aumentando a competitividade do negócio e, inclusive, podendo servir como argumento para cobrar margens maiores.

O que torna uma embalagem sustentável

"Uma embalagem sustentável vai além da reciclagem, provém de um projeto que prevê um equilíbrio em todo o processo de sua produção. É uma embalagem desenvolvida antevendo seu uso e descarte, e como este último irá impactar o meio ambiente. Sendo assim, uma embalagem sustentável, mais que conter um produto e protegê-lo, tem a função de vendê-lo causando o mínimo de impacto socioambiental", explicam Jefferson Reuter Quint e Ricardo Heiderscheidt, da HeadMade Design & Co.

Em outras palavras, ao pensar no desenvolvimento de uma embalagem sustentável, é preciso considerar três pilares: ambiental, social e econômico. Portanto, todo o ciclo de vida da embalagem deve ser considerado para que seja possível entender qual o seu impacto no planeta.

Ainda assim, vale reforçar que não existe um processo que seja totalmente sustentável. Portanto, este é um conceito que deve ser buscado constantemente para que seja possível aperfeiçoar as técnicas e reduzir ao máximo o impacto da empresa no meio ambiente.

Neste sentido, existem alguns aspectos a serem considerados para a produção de uma embalagem sustentável:

1. Economia de recursos

A avaliação de cada componente da embalagem permite fazer o melhor uso dos materiais sem comprometer o produto. Iniciativas como reduzir a espessura de garrafas são exemplos de como aumentar a sustentabilidade da embalagem.

2. Inovação

A Indústria 4.0 e a evolução da tecnologia permitem a criação de embalagens com menos materiais e, em muitos casos, o reuso do plástico. Apostar na inovação é fundamental para encontrar alternativas e viabilizar produtos mais sustentáveis.

3. Reuso

Outro ponto importante e que dá ao plástico uma excelente vantagem na sustentabilidade é a sua possibilidade de reuso. Dar nova vida aos materiais é uma excelente maneira de reduzir custos e ainda minimizar os impactos de produção, o que pode ser feito por meio de processos como a reciclagem química.

4. Mão-de-obra

Sustentabilidade também envolve valorizar os funcionários e atuar dentro das leis trabalhistas com respeito e transparência.

Embalagem sustentável como atributo de venda

"Esse tipo de embalagem deve ser vendida destacando seu atributo enquanto sustentável. Seja através do formato, layout visual ou ainda reforçado através de materiais publicitários. Na atualidade, por ter acesso à informações de forma facilitada, o consumidor preza por uma vida saudável e equilibrada, o que impacta diretamente na venda e compra de produtos. Outra saída interessante está no reuso das embalagens, prevendo um ciclo de vida maior e novas funções às mesmas. Não se trata apenas de sugerir o descarte consciente dos materiais de que são feitas as embalagens, mas orientar o consumidor que sustentabilidade é uma necessidade do mundo contemporâneo", destacam os profissionais da HeadMade Design & Co.

Adotar práticas sustentáveis na indústria pode aumentar o retorno econômico. Além disso, essa postura, quando divulgada ao mercado, impacta em uma melhora da imagem da empresa e de seus produtos.

Unir a capacidade de atender aos objetivos dos clientes com a verdadeira preocupação em tornar os processos mais sustentáveis gera uma vantagem competitiva para o negócio. Com isso, é possível reter clientes, satisfazer uma necessidade do mercado e ainda melhorar as margens de lucro.

Que tal começar a olhar para as embalagens sustentáveis como uma poderosa oportunidade de negócio? Conheça mais algumas importantes tendências em embalagens plástica neste material!

Cinco dados mundiais sobre plástico na área da saúde

Plásticos na área da saúde

A Plastics Industry Association (PLASTICS; Washington, DC) publicou a última edição de sua série Plastics Market Watch - Watching: Plastics Contribuies to Healthcare, com informações sobre o plástico na área da saúde. Reunimos aqui cinco fatos sobre isso, direto do material. Conheça a seguir alguns pontos fundamentais que o plástico desempenha no ecossistema da saúde, segundo a publicação!

Cinco fatos sobre plásticos na área da saúde

Ver para crer

75% dos adultos americanos usam plástico todos os dias para enxergar. Isso porque utilizam armações de óculos, lentes ou lentes de contato, geralmente feitas de plástico.

Blue wrap

Em diversos ambientes de assistência médica, desde cadeiras de dentistas a salas cirúrgicas, o “blue wrap” (material usado em ambientes esterilizados) é usado para proteger o equipamento. Por quê? O material feito à base de polipropileno combate a contaminação microbiana e resiste a líquidos. Essas são características essenciais para o setor, que precisa garantir a esterilização para proteger equipamentos e pacientes.

Plástico nos quadris

Uma das cirurgias mais comuns nos Estados Unidos e na Europa, a artroplastia (ou substituição) do quadril usava peças de metal há anos. Hoje, já estão disponíveis novos implantes de quadril feitos com plástico PEEK (polieteretherketone) reforçado com fibra de carbono. O material demonstrou resistência superior, suportando melhor o desgaste e apresentando compatibilidade com outras peças para imitar a articulação e a função do quadril humano.

Solução 99,99%

Aproximadamente 5% a 10% dos pacientes contraem infecções relacionadas aos hospitais nos Estados Unidos. Ou seja, há um risco potencial de prolongar a permanência no hospital, aumentando o custo e o desgaste. Para mudar esse quadro, plásticos estão sendo criados já com aditivos antimicrobianos que repelem ou matam bactérias. Os plásticos antimicrobianos da nova geração podem reduzir as bactérias em até 99,99%. Eles podem ter diversas aplicações, de cateteres até maçanetas de salas de hospitais.

Resíduos de saúde podem - e devem - ser reciclados

Cerca de 85% dos resíduos hospitalares não são infecciosos, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Além disso, grande parte deles é reciclável. No entanto, a maioria desses materiais é tradicionalmente depositada em aterros ou queimada, e alguns transportadores relutam em usar alguns materiais médicos. Embora os esforços de redução de resíduos precisem ser equilibrados com a segurança do paciente e do fornecedor, existem esforços reais para melhorar o desvio de dispositivos médicos plásticos para aterros sanitários. Por exemplo, em 2017, as instalações da Cleveland Clinic relataram reciclar 33% de seus resíduos – 194 toneladas de plástico.

Fonte.