Mundo do Plastico faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Reciclagem química

Reciclagem química: o que você precisa saber sobre isso

Conheça o processo de reciclagem química e os benefícios que ele traz para o meio ambiente a para as indústrias que estão atentas à essa tendência.

Por meio da reciclagem química, os produtos são alterados para que possam dar vida a novos itens, iguais ou diferentes dos produtos iniciais. Com características diferentes da reciclagem mecânica, a reciclagem química abre novas possibilidades para a indústria do plástico. Com o desenvolvimento de tecnologia, a reciclagem química permite recuperar parte das características iniciais dos polímeros, 

Entenda o que é reciclagem química

"Sabemos que a reciclagem é um processo em que ocorre a transformação do estado físico, químico ou biológico de um material que não seria mais usado em uma matéria-prima utilizável novamente. No entanto, os processos e técnicas aplicados variam de acordo com o tipo de material que será reaproveitado", explica Guilherme Arruda, CEO da VG Resíduos.

De acordo com o especialista, a reciclagem química consiste na transformação dos resíduos plásticos em insumos químicos, combustíveis ou matéria-prima para a fabricação de novos produtos plásticos. "Basicamente, consiste no retorno do polímero à sua composição primária (monômero ou misturas de hidrocarbonetos) por meio da mudança química".

Arruda explica que o produto originado a partir da reciclagem química é o mais próximo do plástico virgem, justamente por causa da despolimerização dos resíduos plásticos, ou seja, da reversão de um polímero para seu monômero. "Para completar e
tornar o reciclado mais puro, o monômetros são purificados e novamente passam pela polimerização", completa.

O processo permite a reciclagem de misturas de plásticos diferentes. Além de aceitar um determinado grau de contaminantes como, por exemplo, tintas, papéis, entre outros materiais. A reciclagem química permite tratar resíduos, reduzindo custos de pré-tratamento, custos de coleta e de seleção. Além de permitir produzir produtos novos com a mesma qualidade de um original".

Como o processo funciona

De acordo com Arruda, existem diferentes processos de transformação do resíduo plástico por meio da reciclagem química. São eles:

1. Hidrogenação

No método, as cadeias poliméricas do resíduo plástico são quebradas, explica. "Essa quebra inicialmente é feita termicamente e com a utilização de oxigênio. Os resultados são radicais livres altamente reativos que, posteriormente, são saturados com hidrogênio, obtendo-se hidrocarbonetos leves (como o metano, etano, propano) e mistura de hidrocarbonetos na faixa de gasolina e diesel".

Arruda diz que o método é muito usado para reciclar resinas fenólicas, resinas melanínicas e poliéster insaturado. Além disso, a hidrogenação permite que o reciclado seja usado como matéria-prima em refinarias.

2. Gaseificação

"Nessa reciclagem química é inserido oxigênio para que ocorra a combustão do carbono contido na matéria. Ou seja, o processo ocorre na presença limitada de oxigênio (na forma de ar, vapor ou oxigênio puro)", explica.

O resíduo é submetido à queima em elevadas temperaturas (de 800 °C a 1000 °C) e, durante a gaseificação, CO e H2 são recuperados, além de pequenas quantidades de CH4, CO2, H2O e alguns gases inertes.

"O gás produzido encontra muitas aplicações práticas, incluindo a combustão em motores ou turbinas para a geração de energia elétrica. Ou o uso em bombas de irrigação, geração direta de calor e produção de matéria-prima para a síntese química", completa.

3. Pirólise

Arruda explica que, nesse método, ocorre a quebra das moléculas pela ação do calor na ausência de oxigênio, podendo acontecer de duas maneira:

  • a baixa temperatura: o resíduo é degradado em alta temperatura na ausência de ar ou deficiência de oxigênio. Neste método, ocorre a despolimerização e formação de pequenas quantidades de compostos aromáticos e gases leves, como o metano.
  • a alta temperatura: o resíduo é decomposto através do calor na ausência de ar ou deficiência de oxigênio. Neste processo são formados óleos e gases que, posteriormente, serão purificados por métodos petroquímicos padrões.

"Na pirólise obtém-se uma grande variedade de produtos de decomposição que são de difícil separação e, além disso, possuem um valor comercial menor que os produtos obtidos por hidrólise", completa.

4. Quimólise

Por fim, na reciclagem química por quimólise são usados substâncias como metano, água e glicol para quebra parcial ou total dos plásticos em monômeros.

Como realizar a reciclagem química na indústria?

"A economia circular enxerga a reciclagem dos resíduos plásticos como uma fonte sustentável de matéria-prima para vários segmentos. A reciclagem química traz uma solução para os problemas dos resíduos plásticos, pois apresenta melhor desempenho ambiental em comparação aos demais cenários", ressalta Arruda.

De acordo com o profissional, o método evita os impactos ambientes que o resíduo provoca, como ecotoxicidade terrestre, oxidação fotoquímica, acidificação e eutroficação. Sendo assim, quando é seguido corretamente, o processo não ocasiona perda de material
e contaminação ambiental.

"A estrutura básica para aplicar o processo de reciclagem química do plástico compreende um tanque para lavar o resíduo, um triturador para reduzir o material para garantir uma reciclagem química eficiente, um secador para eliminar a água da lavagem e uma extrusora, de preferência com um sistema de vácuo, visando à remoção de contaminantes e compostos que possam ser produzidos durante a reciclagem", explica.

Ficou com alguma dúvida sobre o processo de reciclagem química e seus benefícios? Mande sua pergunta nos comentários que tentaremos ajudá-lo!

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar