Gestão

Homogeneizadores estáticos dão qualidade ao processo de moldagem e reduzem custos

Os processos produtivos da indústria do plástico englobam uma série de equipamentos importantes, como é o caso dos homogeneizadores estáticos, também chamados de misturadores, utilizados para melhorar a qualidade dos processos de moldagem.

Eles são compostos, basicamente, por um tubo (corpo) e por elementos fixados em seu interior, em padrão geométrico. Esse conjunto (tubo e elementos) é inserido em setores da tubulação de transporte dos ingredientes a serem misturados, formando um conjunto único.

Dessa forma, os ingredientes são transportados pela tubulação em fluxo contínuo gerado por meio de bombas, no caso de líquidos, ou de sopradores, no caso de gases, e, ao mesmo tempo, são misturados. As unidades de mistura estática são eficientes, tanto em misturas simples quanto em operações de transferência de calor e massa, ou quando reações químicas estão envolvidas.

Em diversas aplicações industriais, os misturadores estáticos são fáceis de usar para a homogeneização de diferentes líquidos, gases ou grãos componentes, pois apresentam boa capacidade de mistura e baixa manutenção devido à ausência de dispositivos dinâmicos.

“Na prática, pequenos volumes, baixa manutenção, simples instalação e alta confiabilidade são os fatores que caracterizam os homogeneizadores estáticos”, ressalta Hamilton Nunes da Costa, matrizeiro especializado em moldes.

Benefícios dos homogeneizadores estáticos

Quando questionado sobre os benefícios dos homogeneizadores estáticos para a indústria do plástico, Costa garante que “eles melhoram a estabilidade do processo, ajudam na redução do consumo de masterbatch e aumentam a janela de processamento de moldagem por injeção, favorecendo, assim, a resolução de muitos problemas de qualidade da indústria do plástico.”

Além disso, os dispositivos são utilizados com eficiência em processos contínuos e apresentam uma ampla gama de aplicações nos mais diversos setores do mercado, reduzindo de forma acentuada os custos operacionais e apresentando uma vantagem adicional importante para o segmento do plástico: a possibilidade de agitar qualquer líquido corrosivo, pois tanto o corpo quanto o enchimento pode ser construído a partir de qualquer material.

Apesar disso, a principal vantagem dos homogeneizadores estáticos em relação aos equipamentos convencionais é, mesmo, a economia. A redução dos custos de investimento e de produção pode alcançar de 30% a 40%, levando em conta a economia de espaço da instalação, pois se torna desnecessária a utilização de tanques. O processo de automatização é mais simples, pois requer uma quantidade menor de sensores de temperatura e vazão, além de reduzir a necessidade de operadores. Como não há componentes móveis e desgaste de peças, a manutenção também é reduzida.

Com os homogeneizadores estáticos, é possível manufaturar pequenos volumes com uma excelente confiabilidade de mistura e, para que eles rendam o esperado, Costa finaliza recomendando que “a concepção e o dimensionamento correto do homogeneizador são essenciais para se obter o máximo de benefício dentro do padrão estabelecido pelo fabricante do masterbatch. O tamanho da máquina, a força de injeção e o tipo de polímero exercem um impacto importante sobre a escolha correta do homogeneizador. Um projeto inadequado de misturador ou com geometria irregular estará resolvendo o problema apenas parcialmente, e não de modo integral”, afirma.

Como tem sido a sua experiência com homogeneizadores estáticos na sua empresa? Deixe sua mensagem no campo de comentários abaixo e até a próxima. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *