Criatividade: habilidade do futuro para gestores industriais

TAG: Inovação
criatividade habilidade do futuro para gestores industriais
Você sabia que a criatividade é uma das habilidades (softskills) destacadas pelo Fórum Econômico Mundial em seu relatório “The Future of Jobs”?

Você sabia que a criatividade é uma das habilidades (softskills) destacadas pelo Fórum Econômico Mundial em seu relatório “The Future of Jobs”? Ao lado dos pensamentos crítico e analítico, e da capacidade de resolver problemas complexos, ela é uma das habilidades mais importantes para profissionais no contexto da indústria 4.0. Mas por quê? Como ela pode ser desenvolvida?

A criatividade para profissionais 4.0

Ter criatividade é ter capacidade para inventar e criar algo novo. É o fomento a ideias originais, o que é muito visado por recrutadores do mercado de trabalho. Quando falamos de profissionais da indústria 4.0, a criatividade é, sem dúvida, uma das habilidades muito visadas. E isso tem um motivo: criatividade e inovação são intimamente conectadas.

A inovação industrial vem ganhando espaço exponencialmente devido às transformações digitais. São profissionais criativos que têm maior capacidade de percorrer esses novos caminhos e liderar esse processo. São eles os responsáveis por alavancar o nome de uma indústria em seu segmento de atuação com o pioneirismo.

Isso porque profissionais 4.0 são criativos e não tem medo do fracasso. Sabem que “tentativa e erro” estão ligados e são o meio para a inovação. Estão em constante busca pelo conhecimento e o utilizam de forma a encontrar novas saídas.

Sem dúvidas, existe uma razão para a criatividade ser uma habilidade destacada pelo Fórum Econômico Mundial. Ligada a originalidade e adaptabilidade, resolução de problemas, compreensão e discernimento, ela aprimora outras habilidades do profissional.

Por si só, esse já seria um motivo para desenvolver a criatividade. Mas existem outros.

criatividade softskill habilidade do futuro para gestores industriais

Motivos para desenvolver a criatividade

Marta Simone, coach e consultora de criatividade, idealizadora da Coach Criativo – Criatividade nos processos de Coaching, traz 3 principais motivos para desenvolver a criatividade:

“Em primeiro lugar, porque em um mundo cada vez mais complexo, em que as mudanças ocorrem em um ritmo mais intenso e rápido, e a palavra de ordem é ‘inovação’, a demanda por ‘soluções criativas’ e inovadoras cresce assustadoramente. Indivíduos que possuem essa habilidade desenvolvida, indubitavelmente, asseguram um lugar de destaque em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo”.

Além da demanda por soluções criativas, Marta acredita que com a chegada da Indústria 4.0 e do conceito de fábricas inteligentes (automação elevada à máxima potência e robôs assumindo funções complexas e atuando em níveis operacionais e elaborados) há um novo desafio para a indústria: a exigência de um novo perfil de profissionais e gestores altamente qualificados para lidar com processos ágeis.

Ela explica que um ambiente de trabalho híbrido e inovado pede grande flexibilidade: “vários estudos demonstram que flexibilidade, adaptabilidade e grande capacidade de combinar ideias são características de Indivíduos considerados ‘criativos’. Portanto, desenvolver tais características que compõem o ‘Perfil Criativo’ será questão de sobrevivência para os gestores dentro desse novo cenário”.

Por fim, Marta ainda chama atenção que a criatividade é uma habilidade que integra o “genuinamente humano”, que nos diferencia das máquinas.

Desenvolvendo a habilidade do futuro em gestores de indústria

A valorização da criatividade como habilidade do futuro merece toda atenção dos gestores de indústria. Se há uma demanda por soluções inovadoras e criativas, é preciso atendê-la. Mas como desenvolver a criatividade para atender à indústria 4.0?

No lado dos profissionais, Marta destaca que eles “devem explorar e exercitar continuamente ações e atitudes que possam ajudar a desenvolver o pensamento criativo, como por exemplo, realizar atividades inusitadas e diferentes em seu cotidiano, buscar mais de uma solução para o mesmo problema, ou até mesmo matricular-se em um curso em uma área completamente diferente da sua área comum de atuação”.

Já no lado das empresas, elas deverão criar um ambiente propício ao desenvolvimento da criatividade, e isso deverá integrar a cultura e o clima organizacional. Se o profissional não tiver liberdade para criar e experimentar o novo (“licença para errar”) é impossível estimular o processo criativo. Não à toa, é possível notar indústrias criando laboratórios específicos de criatividade e inovação.

Além disso, a indústria pode investir na própria capacitação criativa de seus gestores e profissionais que já tenham um perfil mais curioso.

A criatividade é uma das soft skills mais importantes e valorizadas no mercado de trabalho atual. Na indústria 4.0, ela deve ter espaço para ser exercida e fomentada, pois pode ser a chave para a inovação que colocará a empresa em outro patamar.

Falando em inovação, você sabe por onde começar a transformação digital nas PMEs?

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar