Gestão

Confira os problemas mais comuns relacionados ao polimento inadequado dos moldes

polimento é uma fase determinante para a obtenção de moldes e ferramentas de boa qualidade, tanto que, quando realizado de forma inadequada, pode comprometer o processo de injeção na indústria do plástico. Dessa forma, entender cada um dos fatores envolvidos é fundamental para a obtenção do resultado esperado. Afinal, o polimento  ajuda a melhorar a qualidade da superfície das peças injetadas, diminuindo a rugosidade causada pelos parâmetros de corte, a velocidade de avanço, a profundidade e o sentido de corte, o próprio material usinado, além da usinagem como um todo.

“É importante utilizar técnicas e contar com aparelhos e insumos adequados para evitar que a superfície e as arestas da cavidade polida tenham algum tipo de deformação, tais como ângulos negativos e arredondamentos”, comenta Rafael Scandizzo Caldana, professor da Escola Senai Conde Alexandre Siciliano, de Jundiaí.

Quando isso não ocorre na prática, pode haver maior dificuldade de preenchimento da cavidade, marcas de fluxo, imperfeições superficiais, queima do material e quebra no momento da extração do produto. “Um mau polimento no canal de injeção aumenta, inclusive, o atrito do material com o molde, dificultando o preenchimento e gerando queima por atrito”, ressalta o especialista.

Outros problemas e suas causas

Além dos efeitos citados acima, vale a pena destacar o polimento excessivo, chamado de superpolimento, como um dos principais problemas que surgem durante essa tarefa e que prejudicam o processo de injeção. Ele pode ocorrer, principalmente, quando o polimento é feito de forma manual – ou seja, quando é realizado com lixas, pó ou bastão abrasivos que possuem granulação super fina. E uma das causas para isso pode ser a pressão excessiva efetuada durante o processo.

A carbonetação excessiva, ou o superaquecimento durante o tratamento térmico, também pode formar áreas irregulares e comprometer a injeção, assim como a não homogeneidade químico-estrutural do material inicial. Nesse caso, cabe salientar que a tentativa de aumentar a pressão do polimento, a fim de recuperar um defeito, pode levar a um resultado oposto, intensificando, assim, o defeito em questão.

Você já teve de driblar algum problema causado pelo polimento inadequado dos moldes? Compartilhe sua experiência aqui nos comentários e até a próxima!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *