• Mundo do Plástico is part of the Informa Markets Division of Informa PLC

    This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Gestão

Centrais de água gelada facilitam economia de energia na indústria do plástico

Uma tendência que tem se consolidando na indústria do plástico é a utilização de chillers (sistema de refrigeração) de alta eficiência nos processos produtivos  como uma forma de promover a economia de energia.

De largada, é importante saber que os chillers são, basicamente, resfriadores de água, que é utilizada com o objetivo de resfriar o ar, produtos ou equipamentos, conforme a necessidade. Ou seja, de acordo com cada tipo de processo e material plástico produzido.

O processo garante a produtividade máxima dos equipamentos e a qualidade do produto final acabado. Além disso, pode ser otimizado, de modo a proporcionar verdadeiras centrais de água gelada, com motores (compressores, ventiladores e bombas) e tecnologias (trocadores de calor e controladores) de alta eficiência.

Confira, portanto, como promover a economia de energia nos processos produtivos da indústria do plástico a partir do uso de centrais de água gelada de alta eficiência.

Centrais que geram economia de energia

Existe atualmente no mercado a tecnologia de compressores Danfoss Turbocor, trazida com exclusividade pela Transcalor para o Brasil, por meio de uma licença global pela Smardt, a única empresa do mundo especialista em fabricação de chillers de alta eficiência e com a tecnologia Oil Free Turbocor.

Trata-se de um compressor cujo eixo centrífugo fica levitando em mancais magnéticos, sendo 1 axial e 2 radiais, em que não há nenhum atrito ou fricção entre a peça móvel (eixo) e os mancais de sustentação, justamente devido ao princípio do magnetismo.

“Isso traz uma eficiência energética fantástica, que carrega consigo outras virtudes, como uma partida suave de 2 amperes apenas, variador de frequência, modulando a rotação de 0 a 50.000 rpm, podendo rodar em baixas rotações, de acordo com a carga demandada, sem se preocupar com arraste de óleo. Também não há óleo nesta tecnologia, afinal, não há o que ser lubrificado se não existe atrito nem desgaste de peças. Vale mencionar que a tecnologia não gera nenhuma vibração e que o ruído causado é menor que 70 dB”, afirma Diego Nista, diretor técnico da Transcalor.

Requisitos necessários para as centrais de água gelada

Para valer a pena o investimento na instalação de tipo de equipamento, basta que o empresário tenha uma carga igual ou superior a 240.000 Kcal/h (80 TR), pois cada chiller se estende até 2.500 TR na condensação à água e até 500 TR na condensação a ar.

“Além desse requisito, é importante que o gestor industrial esteja atento com a conta de energia, a durabilidade e a confiabilidade do sistema. Tendo esses atributos como visão estratégica no curto e no longo prazo, é possível calcular e dar todo o suporte para provar e gerar os paybacks de economias, por meio de softwares homologados AHRI”, orienta o representante da Transcalor.

Custos x benefícios

Os chillers comuns, que utilizam compressores scrolls, parafuso, centrífugo lubrificado, pistão alternativo, entre outros, possuem uma eficiência – quando novos – de 1,2 kW/TR, e passam a perder de 3 a 5% dela por ano, aumentando o kW consumido a cada tonelada de refrigeração.

“Estamos falando de uma eficiência de 0,3 kW/TR. Quando multiplicada pela tarifa elétrica dentro e fora da ponta, contemplando também o número de horas utilizadas pelo equipamento por dia, nos traz paybacks menores de 2 anos. Ou seja, tem-se um custo inicial maior que o tradicional, mas que se paga de forma rápida e inteligente”, defende o especialista da Transcalor.

Além disso, esse equipamento exige menos manutenção e menores custos de trocas de óleo, bucha, rolamentos, entre outros componentes. Vale a pena ressaltar que a tecnologia também alivia as fiações elétricas, cabines primárias e geradores. Dessa forma, todo o sistema e a planta são beneficiados.

Quer saber sobre economia de energia na indústria do plástico e ficar por dentro de outras novidades do setor? Continue acompanhando nosso canal de conteúdo e até a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *