Gestão

Veja como controlar o estoque de matéria-prima na indústria do plástico

Gerenciar bem o estoque de matéria-prima está longe de ser uma tarefa fácil até mesmo para os gestores mais experientes. Isso porque a falta de insumos pode interferir no curso da produção, fazendo com que, eventualmente, faltem itens importantes, enquanto a manutenção de um estoque elevado reduz o fluxo de caixa e aumenta as perdas da empresa.

De acordo com Luiz Antonio Junior, engenheiro de produção pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), “a gestão de estoques é um problema comum para a maioria das empresas, que devem responder a duas questões fundamentais: quando realizar a reposição do inventário e qual quantidade pedir para essa reposição”, alerta.

Pensando nisso, reunimos, a seguir,  quatro dicas para ajudá-lo a fazer o controle do estoque de matéria-prima, a fim de evitar perdas e garantir a operação eficiente da sua indústria. Confira:

1. Cadastre todos os materiais

O primeiro passo, antes mesmo de começar, efetivamente, o controle do estoque de matéria-prima, é conhecer todos os materiais que são utilizados ou não pela empresa. Para isso, é fundamental fazer um levantamento (inventário) de tudo que está no estoque e, logo depois, realizar um cadastro detalhado desses itens.

“Todo esse processo pode ser feito em uma planilha de Excel, por exemplo. No entanto, o ideal mesmo é usar um sistema integrado de gestão de estoque“, afirma Junior.

2. Separe os materiais de acordo com o cadastramento

Depois de realizado o cadastro de todos os materiais utilizados na empresa, os gestores precisam separar cada um deles de acordo com as classificações determinadas.

“Em relação às estratégias de armazenamento, elas podem ser classificadas em dois tipos básicos: armazenamento aleatório e armazenamento dedicado. No armazenamento aleatório, os itens são estocados em qualquer localização disponível no sistema. Ele, geralmente, exige um espaço total menor quando comparado ao sistema de armazenamento dedicado, que possibilita o alcance de uma maior taxa de transferência”, explica o engenheiro.

3. Controle o que é utilizado

Para controlar o estoque de matéria-prima, é fundamental que a empresa monitore constantemente a quantidade de insumos utilizada. Dessa forma, é possível garantir que todos os materiais estejam disponíveis para a produção no chão de fábrica.

E para gerenciar a reposição dos estoques, deve-se definir um ponto de ressuprimento, que representa o consumo diário do produto multiplicado pelo número de dias necessários para que o pedido seja atendido, adicionado, ainda, ao valor de estoque de reserva admitido pela organização. Em outras palavras, é o valor fixo considerado suficiente para atender a demanda interna até que sejam repostos os estoques, dentro das condições normais de funcionamento do sistema de produção.

Para situações reais sujeitas a variações, deve-se definir, também, um estoque de segurança, cuja principal função é garantir que não falte estoque antes de chegar o primeiro pedido de reabastecimento.

4. Defina o fluxo de entrada e saída

Para fazer uma boa gestão do estoque de matéria-prima, também é preciso controlar as entradas e saídas dos itens. A retirada de uma peça ou de um produto, por exemplo, deve ser sempre registrada em um sistema para que a sua substituição seja realizada com sucesso. O mesmo deve ocorrer quando houver a inclusão de novos recursos para evitar gastos desnecessários.

De que forma a gestão do estoque é realizada na sua empresa? Deixe o seu comentário abaixo e continue acompanhando o nosso canal de conteúdo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *