Oportunidades

Solda por ultrassom é ideal para indústria com elevado ritmo de produção

A soldagem por ultrassom é um processo econômico e eficiente de união térmica que fornece alta rigidez ao produto final, sem a presença de aditivos. Além disso, serve tanto para soldar metais quanto termoplásticos, materiais não terrosos, vidros e, até mesmo, cerâmica.

“A solda por ultrassom fornece uma união de qualidade em linhas de produção de alta velocidade, já que os tempos de ciclo têm, normalmente, entre 0,2 e 0,5 segundos de duração, além de ser um excelente método de união para polímeros moldados pelo processo de injeção plástica”, explica Catherine Dietz, gerente de vendas da Herrmann Ultraschall no Brasil.

Funcionamento da solda por ultrassom

A soldagem por ultrassom ocorre mediante a transformação da tensão elétrica em oscilação mecânica, permitindo, assim, que as peças permaneçam “coladas” umas às outras. A principal parte desse maquinário é chamada de conjunto acústico, que é composto por três partes: o transdutor acústico piezoelétrico (conversor), a unidade de transformação da amplitude (booster) e a ferramenta de soldagem (sonotrodo).

A ferramenta de soldagem inicia a oscilação na área da união – a 20 kHz são verificados 20 mil movimentos por segundo –, gerando a fricção e o calor responsável por derreter o material nos pontos de contato de ambos os componentes. Após um período sob pressão, forma-se uma solda completamente homogênea e fixa.

Nesse formato, não se faz necessário o pré-aquecimento das ferramentas, nem o resfriamento das partes após a solda ocorrer, o que economiza tempo e otimiza o processo produtivo da indústria. Além disso, a soldagem age de acordo com o material e o design das partes.

Vantagens da solda por ultrassom

A tecnologia de solda por ultrassom é um dos métodos mais rápidos de união de duas partes plásticas sem a adição de materiais como cola ou fixantes, tornando-a atrativa para indústrias com alto volume de produção.

No caso, por exemplo, dos termoplásticos, ela permite um elevado ritmo de produção, que pode chegar a 2 mil peças/hora, além de soldagens limpas, custo baixo de mão de obra, maior durabilidade das ligações e ausência de riscos para o operador.

A gerente de vendas da Hermann Ulltraschall destaca, ainda, outra vantagem do método de união plástica. “O processo de solda por ultrassom pode ser facilmente otimizado e reproduzido através da avançada tecnologia do gerador de ultrassom, que possui habilidades de parametrização”, informa.

Cabe, também, destacar que, devido ao baixo consumo de energia durante o processo de solda, o impacto térmico nas partes é mínimo, pois as peças podem ser processadas imediatamente após a soldagem, permitindo que as estações de solda sejam integradas em linhas automatizadas.

Quando se recomenda a solda por ultrassom?

A solda por ultrassom é recomendada naquelas situações em que se faz necessário um processo rápido e econômico de união de componentes termoplásticos numa produção em larga escala, tanto na área automotiva, quanto na médica e de consumo. Mas há, também, outra recomendação, segundo Catherine Diez. “Quando existe a preocupação em produzir peças finais em massa, a soldagem por ultrassom é recomendada como uma garantia de repetibilidade e qualidade”, enfatiza.

Quer saber mais sobre a solda por ultrassom e outros temas importantes para a indústria do plástico? Siga acompanhando o nosso canal de conteúdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *