Inovação

Saídas simples ajudam a aplicar estratégias de inovação em médias indústrias

Enquanto pelo Brasil afora o papo tem sido, nos últimos cinco anos, o conceito da Manufatura Avançada e a revolução digital aplicada ao setor, há quem diga que o País ainda se encontra na transição da Indústria 2.0 para a 3.0.

Para se ter uma ideia, de acordo com o Sebrae, o Brasil precisaria investir em cerca de 165 mil robôs industriais para se aproximar da capacidade produtiva robótica da Alemanha, que é referência na área.

No entanto, admirar-se com o gramado do vizinho sem se preocupar com os cuidados diários da própria grama pode ser um grande equívoco. Por isso, preparamos uma lista com algumas estratégias de inovação em médias indústrias que podem ser aplicadas para manter o Brasil em ascensão, no que diz respeito à sua capacidade produtiva. Confira!

O que é inovação?
No segmento das indústrias, é necessário avaliar o comportamento do seu setor de atuação – e isso implica analisar os desafios, o momento, a concorrência e as oportunidades. O resultado dessa análise é o saldo que empreendedores encontram, na ponta do lápis, para trabalhar em planejamentos e ações inovadoras.

De acordo com o administrador Bruno Rocha, isso envolve atuar sempre com:

•    Ética;
•    Foco no cliente;
•    Comprometimento;
•    Flexibilidade.

“Essas são qualidades que, independentemente do setor, devem fazer parte do planejamento”, explica o especialista em tecnologia da informação em uma multinacional de inovação no setor de health care, que considera tais elementos essenciais no DNA de qualquer empresa.

Além disso, Rocha explica que a inovação é uma combinação nascida de demandas e necessidades. Por isso, é tão importante analisar o mercado, como um todo, a fim de identificar as carências do setor e traçar planos para supri-las.

Como as médias indústrias podem ser inovadoras?
A seguir, selecionamos algumas técnicas práticas que podem ser planejadas para aplicar a inovação nas indústrias.

•    Inovação não precisa vir, necessariamente, de grandes transformações. Pequenas mudanças em atitudes e hábitos já podem ser suficientes para engrenar algo novo e diferenciado;
•    Contagie a sua equipe com uma visão inovadora para o seu negócio. A liderança é crucial para envolver a todos, o que também facilita a busca pelos seus objetivos;
•    Trabalhe com fontes internas e externas, em busca de um elemento inovador. Essa convergência pode gerar ideias realmente novas;
•    Crie um ambiente colaborativo de aprendizado, mas também recompensador;
•    Questione-se, sempre. Essa é uma qualidade excepcional para conduzir sua empresa a um estágio evolutivo.

Aplicar esses conceitos pode ser um diferencial nas indústrias, visando ampliar sua fatia de mercado, assim como desenvolver um ambiente próspero e inovador.

Dicas de estratégias inovadoras para indústrias
Com base no que vimos, podemos constatar que inovação não custa caro. “Este é um mito que muitos perpetuam nos negócios. Inovar não significa substituir equipamentos por outros mais caros ou investir em tendências, mas em focar nas carências do seu cliente, primeiramente. E isso, nem sempre, significa abrir o bolso”, analisa Rocha.

Na obra “Teoria do Desenvolvimento Econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico”, de Joseph Alois Schumpeter, a inovação pode ser aplicada das seguintes maneiras:

•    Com a introdução de um novo bem qualitativo, algo ainda pouco ou nada familiar ao consumidor;
•    Com uma nova prática, método ou técnica ainda não aplicada;
•    Com a abertura de um novo mercado ou ramo de atuação que poucas (ou nenhuma) empresas do país tenham tentado investir, ingressar ou se aventurar;
•    Com a conquista de algo ainda pouco explorado, independentemente do fato de essa fonte já existir ou ter que ser criada;
•    Com o estabelecimento de uma nova organização de qualquer indústria, como a criação de uma posição de monopólio ou a fragmentação de uma posição de monopólio.

Dessa forma, fica claro que, independentemente do porte das indústrias ou ramo de atuação, gerar inovação pode promover muito mais eficiência produtiva, reduzir custos e aumentar a qualidade dos seus serviços ou produtos.

E na sua indústria, a cultura da inovação faz parte da gestão? Continue acompanhando nosso canal de conteúdo para ficar por dentro das novidades do setor. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *