Gestão

Extrusão de filmes balão e tubular: você sabe como fazer?

Apesar de parecer simples, o processo de extrusão de filmes balão ou tubular exige o uso de tecnologias e a qualificação adequada dos profissionais envolvidos para evitar prejuízos, como danos aos equipamentos, desperdícios de matérias-primas, contaminações e acidentes. Vale a pena lembrar, portanto, que o procedimento é realizado em uma máquina extrusora responsável por receber a matéria-prima em um funil que alimentará um cilindro com uma rosca de geometrias complexas e adequadas para cada família de material plástico.

Em seguida, o material plastificado é forçado a passar por uma matriz com dimensões preestabelecidas para composição de uma pré-forma, a qual é insuflada com ar comprimido até atingir diâmetro que corresponda à largura estabelecida para a bobina de filme a ser produzida. Este balão, por sua vez, será achatado gradativamente por um conjunto conhecido como saia, para tornar-se plano, possibilitando, dessa forma, o bobinamento.

“Outra característica fundamental a ser controlada nesse processo é a espessura do filme.  Os principais parâmetros que influenciam a sua espessura durante o processamento são: a velocidade da extrusora, a velocidade do puxador e o ar de insuflamento”, destaca Durval Valente Lopes, instrutor da Escola Senai, de São Bernardo do Campo, em São Paulo.

Técnicas de extrusão de filmes

Existem algumas técnicas para a obtenção de filmes tubulares que vão depender da matéria-prima utilizada ou das características técnicas do filme. São elas:

– Extrusão de filme tubular ascendente: muito utilizada para os polietilenos. Nesse caso, no processo de extrusão, o filme sai da extrusora que está embaixo, é resfriado com ar e segue para os roletes que estão em cima.

– Extrusão de filme tubular descendente: é destinada para os polipropilenos. A extrusora fica acima da estrutura e os roletes embaixo, aproveitando-se da força da gravidade para diminuir o tracionamento.

– Extrusão de filmes planos: consiste na extrusão de polímeros por meio de uma matriz plana para formar um filme ou chapa lisa. Este filme é colocado por um jato de ar que sai de uma lâmina ou caixa na superfície de um rolo de resfriamento. O filme esfria imediatamente e suas bordas são aparadas antes de enrolarem.

– Processo de co-extrusão:  é baseado na obtenção de filmes com camadas de diferentes materiais. Sua vantagem é a possibilidade da fabricação de filmes customizados, de acordo com a necessidade de cada aplicação. Os filmes podem ser produzidos com maiores propriedades de barreira, maior resistência mecânica e rigidez.

Cuidados no processo de extrusão de filmes

O processo de extrusão de filmes requer cuidados especiais, tanto com o equipamento quanto com o profissional, que acaba, em boa parte das vezes, sendo treinado rapidamente pela própria empresa, mas que também tem condições de, em um curso técnico, obter as orientações necessárias para o desenvolvimento do trabalho.

No que diz respeito à segurança pessoal, é preciso que o trabalhador esteja atento a todas as etapas, conforme indica Fernando Xavier do Nascimento, também instrutor do Senai de São Bernardo do Campo.

“Há cuidados em relação a queimaduras devido ao trabalho com altas temperaturas, com ergonomia durante o manuseio de materiais e com partes móveis do equipamento, principalmente rolos”, esclarece.

Cabe ressaltar, ainda, que, em um filme plástico, devem ser inspecionados itens importantes, como brilho, transparência, espessura, uniformidade da espessura e planicidade, resistência à tração e ao impacto, soldabilidade, propriedades de barreira a gases, entre outros, tendo em vista que eles estão relacionados ao destino final do filme produzido, seja ele embalagens, sacos para lixo, sacolas, filmes técnicos, etc.

Quer saber mais sobre extrusão de filmes? Siga acompanhando o nosso canal de conteúdo. Até a próxima!

 

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *