Gestão

Especialista explica como é feita a coloração dos artefatos de borracha

A predominância da cor da grande maioria dos artefatos de borracha é negra, como pneus, câmaras de ar, mangueiras automotivas, perfis em geral e muitos outros. O material responsável por esta cor é conhecido como Negro de Fumo (Carbon Black) que faz parte do composto de borracha. Porém, muitos acreditam que ele faz parte dessa composição exclusivamente com o objetivo de torná-la negra, o que não é totalmente verdade.

Quando utilizamos o Negro de Fumo em borracha, sua principal finalidade é proporcionar propriedades como aumento de dureza, aumento na tensão de ruptura, aumento na resistência a abrasão e melhora na processabilidade. Por isso, o consideramos como carga reforçante. Portanto, buscamos essas propriedades, utilizando o Negro de Fumo e consequentemente nosso artefato será negro.

Já sua aplicação em tintas e plásticos, aí sim, é considerada um pigmento preto. No entanto, quando a cor do artefato não é preta, lançaremos mãos de outros materiais: os pigmentos, os quais podem ser inorgânicos e orgânicos.

 Principais pigmentos inorgânicos

Composição Quimica Cor Dosagem (PHR)
Dióxido de Titânio Branco 0.5-45.0
Litopone Branco 1.0-50.0
Óxido de Zinco Branco 1.0-25.0
Óxido de Ferro Preto, Vermelho, Castanho, Laranja e Amarelo.  

1.0-10.0

Óxido de Crômio Verde 1.0-10.0
Ultramarinos Azul, Violeta e Rosa. 1.0-4.0

Observação: pigmentos inorgânicos brancos além de serem os responsáveis por deixar os artefatos brancos também servem para conferir o chamado fundo branco. E em artefatos coloridos, realçando, assim, sua cor. Dentre os pigmentos brancos o óxido de titânio é o mais eficiente.

Os pigmentos Inorgânicos oferecem uma excelente estabilidade a cores, boa resistência ao calor e alguns agentes químicos. Normalmente não ocorre variação de cor no vulcanizado.

Pigmentos Orgânicos
Tem uma variedade muito mais para o uso no mercado de borracha, estes são mais sensíveis na alteração de cor.

Sua cor pós-vulcanização se modifica devido sua sensibilidade ao calor. Portanto, na seleção destes pigmentos, deve ser levada em conta a ação do calor, luz, do ar e agentes químicos. Possuindo ainda maior poder de pigmentação que os inorgânicos, porém são mais caros.

Existem duas grandes famílias: Corante Azo e Corante Policíclico. Normalmente, são oferecidos como masterbatches ou pastas com vários tipos de ligantes.

Ingredientes da composição
Em artefatos coloridos (não negros) devemos selecionar elastômeros de cores claras. Se for Borracha Natural, deve ser um crepe claro ou um equivalente na cor. Devemos evitar os crepes escuros. Nos casos de SBR, devemos evitar os estendidos em Óleo Aromáticos, que são praticamente negros (SBR 1712) ou os com antioxidante manchantes que são marrons escuros (SBR 1500). Os recomendados são SBR 1502 ou SBR 1778.

Aceleradores
Alguns aceleradores também podem alterar a cor do composto por meio do amarelamento. São eles: Sulfenamidas (CBS) (TBBS), Mercaptobenzotiazol (MBT) e Difenilguanidina (DPG) (DOTG).

Plastificantes minerais
Devemos evitar Óleo Aromático devido sua cor e manchamento. Recomendamos os tipos parafínicos e naftênicos. De uma forma geral devemos evitar materiais de tons escuros e que eventualmente alteram a cor do artefato final por reação secundária.

Este artigo foi escrito por Luiz Emiliani Junior, a convite de Mundo do Plástico. O especialista é diretor e consultor técnico na Modulus Consultoria & Treinamentos em Borracha.

A logística reversa das embalagens plásticas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *