Gestão

Especialista dá dicas de manutenção preventiva para máquinas injetoras

Uma boa manutenção preventiva é a melhor forma de garantir que a produção das máquinas injetoras na indústria do plástico ocorra com o mínimo de intercorrências possível. A prática também é importante para aumentar a vida útil desse tipo de equipamento e também a sua produtividade.

De acordo com o engenheiro Jerônymo Lopes, da Automata do Brasil, a injetora é “um conjunto eletromecânico composto por duas partes mecânicas principais: o conjunto do fechamento e o conjunto da injeção. A injeção é a responsável por coletar a matéria-prima, na maioria das vezes, granulada (polímero), e transformá-la em plástico liquefeito, e, na sequência, injetar tal matéria-prima para dentro do molde. A unidade de injeção é o subconjunto da injeção, responsável por aproximar e afastar a injeção do molde. Ainda existe o subconjunto de plastificação e a dosagem do material, extremamente importantes para o processo. ”

Vale a pena lembrar também que, na hierarquia das máquinas, temos as injetoras manuais, hidráulicas, híbridas e elétricas, sendo que, ainda hoje, as hidráulicas representam a maioria no mercado nacional. Elas podem ser, ainda, injetoras verticais e injetoras horizontais. O tipo do processo a ser adotado é o que deve determinar o tipo de injetora a ser usado. “Nos processos que precisam de um alto rendimento, precisão de injeção e pouco consumo de energia elétrica no momento da produção, por exemplo, é interessante utilizar injetoras elétricas, explica o especialista.

Para o engenheiro, procedimentos que exigem muita rapidez, ou seja, velocidade no momento da injeção,  precisam de uma injetora horizontal com acumuladores no conjunto da injeção, ou injetoras com servo válvulas no seu sistema hidráulico. Já processos de injeção nos quais não são necessários muitos recursos tecnológicos, como a injeção de vasos plásticos para plantio e injeção de solado de calçados – em que também a matéria-prima é reciclada -, podem se beneficiar com injetoras mais simples, com poucos recursos. “Além disso, em casos como o da injeção de insertos, as injetoras verticais são uma ótima solução”, afirma o engenheiro.

Dicas para evitar problemas e realizar a manutenção preventiva de injetoras

Confira, a seguir, as dicas de manutenção preventiva de máquinas injetoras listadas pelo engenheiro Jerônymo Lopes:

  • Faça a filtragem do óleo de tempos em tempos e o controle da temperatura do óleo para evitar superaquecimento desse elemento e, assim, evitar danos aos componentes, como as válvulas e vedações;
  • Promova a troca e/ou limpeza dos elementos filtrantes para diminuir as impurezas existentes no óleo;
  • Efetue a regulagem mecânica do conjunto de fechamento de tempos em tempos e a aferição do paralelismo;
  • Faça o nivelamento da máquina para evitar futuras torções e danos aos conjuntos mecânicos;
  • Mantenha em dia a regulagem das fontes de alimentação dos circuitos eletrônicos e a aferição dos dispositivos de proteções,  como relés térmicos, disjuntores, fusíveis e etc.;
  • Faça a limpeza dos componentes e partes para visualização de vazamentos hidráulicos e, posteriormente, a retirada dos vazamentos;
  • Substitua os kits de vedações de tempos em tempos;
  • Realize o teste de estanqueidade do conjunto injetor e também dimensional, para determinar o momento de troca do conjunto ejetor;
  • Faça reparos no motor hidráulico, quando existir;
  • Efetue reapertos de conexões, borneiras e outros pontos de conexões, elétricas, mecânicas, hidráulicas, pneumáticas;
  • Faça aferições e verificações dos dispositivos de segurança.

Quer saber mais sobre a manutenção preventiva das máquinas injetoras? Continue acompanhando o nosso canal de conteúdo e até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *