Sustentabilidade

5 dicas para criar um projeto de monitoramento ambiental perfeito para a indústria do plástico

A indústria do plástico tem um grande desafio: impactar cada vez menos o meio ambiente com seu processo produtivo. Para isso, além das medidas cabíveis perante a lei é preciso encontrar alternativas de tornar sua empresa sustentável. Segundo o Relatório do BNDES “A indústria de transformação de plásticos e seu desempenho recente”, o setor é composto por 11.690 empresas, que vêm aumentando sua preocupação com a sustentabilidade. Alternativa para melhorar essa atuação é iniciar um trabalho autônomo de preservação ambiental e diminuir danos futuros na fonte da matéria-prima.

De acordo com Antônio Renato Lima Aragão, gerente do Núcleo do Meio Ambiente da FIEC (Fundação das Indústrias do Estado do Ceará), um projeto de monitoramento ambiental traz muitos benefícios à indústria transformadora do plástico, além de proporcionar um setor consciente e pronto para prevenir impactos ambientais de todos os níveis. “Criar dentro da indústria um projeto que tem o objetivo de identificar e avaliar – qualitativa e quantitativamente – as condições dos recursos utilizados na sua linha de produção, em um determinado momento e ao longo do tempo, pode garantir uma maior tranquilidade na continuidade da atividade produtiva daquela indústria”.

Se você está em busca de implementar um projeto de monitoramento ambiental, é hora de conferir 5 dicas essenciais que farão toda a diferença ao aplicar o seu planejamento.

1 – Identifique os parâmetros a serem monitorados
Para que o seu projeto seja completo a dica é pensar em todo o processo: desde a extração da matéria-prima até seu descarte após o uso final, depois do produto finalizado. Identificar os pontos a serem monitorados em meio a todo o processo vai nortear os próximos passos e facilitar a execução do monitoramento.

2 – Determine a localização das estações de coleta
Se a intenção é a avaliação da qualidade do solo, por exemplo, pense em quais localidades as amostras serão coletadas. Para uma avaliação evolutiva, a coleta no mesmo local facilita a comparação e avaliação. Se preferir, acompanhe a equipe responsável pela tarefa para certificar de que ela está sendo executada corretamente. Sem esse passo bem feito, o projeto não terá boa performance.

3 – Respeite a periodicidade das amostragens
Seja anual, semestral ou mensal, ao determinar uma periodicidade ela deve ser respeitada. Essa é a única forma de acompanhar e realizar o projeto de monitoramento ambiental com êxito.

4 – Defina a técnica de coleta, preservação e análise
Por ser um assunto técnico, a dica é contratar um pessoal qualificado para auxiliar na definição das técnicas necessárias para análise ambiental da sua empresa, além das normativas de preservação. Deixe-os responsáveis por essa etapa e garanta uma análise capaz de trazer insights de um jeito mais sustentável de produzir produtos de plástico.

5 – Encontre um plano de ação
Depois do projeto analisado e com boas sugestões de melhorias, é necessário tirar as ideias do papel e evoluir o processo produtivo e a prevenção do meio ambiente. Trate esses passos não como gastos, mas como um valioso investimento no seu patrimônio. Dessa forma, o retorno futuro estará garantido e essas ações sustentáveis ainda vão enriquecer a sua marca, criando um verdadeiro valor competitivo de mercado.

Aragão afirma que criar um projeto uma realidade alcançável. “No estado do Ceará, por exemplo, o órgão ambiental cobra o automonitoramento das indústrias, como condicionantes das licenças de operação. É uma tendência o incentivo pelos órgão ambientais de que as indústrias tenham pessoal capacitado e responsável pela gestão ambiental. Esse é um caminho sem volta e aqueles que mais rápido se adequarem sairão na frente”, finaliza.

A logística reversa das embalagens plásticas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *